Sexta-feira, 10 de Dezembro de 2010

 

* * *

 

A cadeira estava vazia, mas isso não impediu que o Prémio Nobel da Paz deste ano fosse entregue, simbolicamente, em Oslo, a Liu Xiaobo.

 

* * *

 

 

Categorias:
publicado por Cleópatra M.P. às 16:06
link do post | comentar | favorito!

A China é de facto um grande país, com uma economia de peso, mas o seu regime político transforma a nação num pequeno tigre de papel que não convive bem com a democracia. Com a atribuição do Nobel da Paz a Liu Xiaobo isso ainda foi mais evidente: a censura rançosa do moderno social-comunismo nos meios audiovisuais, na internet e a tentativa de intimidar os países que marcassem a sua presença em Oslo. O cúmulo do despeito aconteceu com a criação apressada do Prémio Confúcio da Paz que acabou por ser um contra-senso pois a doutrina filosófica do confucionismo baseia-se na consciência política e no respeito pelos valores morais e sociais. Nem a compra de parte da dívida pública portuguesa pela China poderá jamais branquear o desterro do Dalai Lama, o massacre de Tiananmen e as constantes violações dos direitos humanos de personagens como Liu Xiaobo.
Dylan a 19 de Dezembro de 2010 às 21:54


Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
14
15
16
17
18

19
20
23
24
25

26
27


Tradutor | Translator
Free counters!