Quinta-feira, 30 de Setembro de 2010

 

 

 

* * *

 

 

 

 

* * *

 

 Nem todo o corpo é carne... Não, nem todo
Que dizer do pescoço, às vezes mármore,
às vezes linho, lago, tronco de árvore,
nuvem, ou ave, ao tacto sempre pouco...?

E o ventre, inconsistente como o lodo?...
E o morno gradeamento dos teus braços?
Não, meu amor... Nem todo o corpo é carne:
é também água, terra, vento, fogo...

É sobretudo sombra à despedida;
onda de pedra em cada reencontro;
no parque da memória o fugidio

vulto da Primavera em pleno Outono...
Nem só de carne é feito este presídio,
pois no teu corpo existe o mundo todo!

 

 

 

David Mourão-Ferreira, Presídio in “Obra Poética”

 


 

publicado por Cleópatra M.P. às 15:14
link do post | comentar | favorito!

Terça-feira, 28 de Setembro de 2010

 

 

 

 * * * 

  

  

 

* * *

 

 

* * *

 

 

'Sometimes the adventure of a lifetime


becomes life itself.'

 


 

 

publicado por Cleópatra M.P. às 09:14
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito!

Sexta-feira, 24 de Setembro de 2010

 

 

 

* * *

 

 

 

 

 

* * *

 

A natureza é o único livro que

 

oferece um conteúdo valioso

 

em todas as suas folhas.

 

 

Johann Goethe

 

publicado por Cleópatra M.P. às 10:35
link do post | comentar | favorito!

Quinta-feira, 23 de Setembro de 2010

 

 

 

Hoje chega o Outono!
.
.
O aroma que anuncia a sua chegada, já se faz sentir há uns dias.
As cores da natureza começam a transformar-se. Sempre belas.
Às 04h09m de hoje ocorre o equinócio de Outono. É o instante em que o Sol,no seu movimentoanual aparente, corta o equador
celeste.
Equinócio... hoje a noite será igual ao dia, em duração...
.
.
Feliz Outono para todos!

 

 

* * *

 

 

 

* * *

 

Outono é outra primavera,


cada folha uma flor.

 

 

Albert Camus

 

publicado por Cleópatra M.P. às 00:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito!

Segunda-feira, 20 de Setembro de 2010

 

 

 

 

* * *

MEU AMOR DÁ-ME OS TEUS LÁBIOS

 

 

* * *

 

 

 

Lindo. Arrepiante!

 

Impossível não sentir um friozinho no corpo

 

quando se lê este poema e se ouve a interpretação de Camané.

 

 

 

* * *

 

Sei de um rio
sei de um rio
em que as únicas estrelas
nele sempre debruçadas
são as luzes da cidade

Sei de um rio
sei de um rio
rio onde a própria mentira
tem o sabor da verdade
sei de um rio

Meu amor dá-me os teus lábios
dá-me os lábios desse rio
que nasceu na minha sede
mas o sonho continua

E a minha boca até quando
ao separar-se da tua
vai repetindo e lembrando
sei de um rio
sei de um rio
E a minha boca até quando
ao separar-se da tua
vai repetindo e lembrando
sei de um rio
sei de um rio

Sei de um rio
até quando

 

 

Pedro Homem de Mello

 

 

* * *

.

Camané - Sei de Um Rio

 

 

* * *

 

 

 

publicado por Cleópatra M.P. às 00:00
link do post | comentar | favorito!

Domingo, 19 de Setembro de 2010

 

"

Cleópatra pintava os olhos para preservar a saúde

Negro sedutor? Nem por isso.

As egípcias maquilhavam os olhos para se protegerem. Um segredo milenar que é agora revelado.

 

 
 
.

Sedutora e vaidosa, Cleópatra, a imperatriz egípcia, entrou para a história como uma mulher forte e uma estratega. Mas também marcou pelos seus conhecimentos dos tratamentos de beleza. Ficaram célebres os seus banhos em leite de burra. O que não se sabia até agora é que a pesada maquilhagem dos olhos visava mais do que apenas seduzir.

 

Cientistas franceses descobriram, segundo o jornal brasileiro "o Globo", que a maquilhagem marcadamente negra dos olhos das mulheres egípcias da altura ajudavam a manter afastadas doenças oculares.

 

O estudo foi publicado na revista científica "Analytical Chemistry" e, depois de uma detalhada análise, revela a importância dos sais utilizados durante séculos na pintura dos olhos. É que, se utilizados em doses reduzidas, certos sais produzem óxido nítrico, a verdadeira razão do sucesso da maquilhagem egípcia.

 

O óxido nítrico estimula o sistema de defesa humano na destruição de bactérias causadoras de infecções oculares. Não se sabe, contudo, como as mulheres da Antiguidade descobriram os efeitos dos sais.

 

Até há pouco tempo, a ideia geral é justamente a contrária à descoberta pelos cientistas franceses. Um olhar literalmente fatal, devido à presença de cloreto de chumbo naquele tipo de pinturas. Mas, os autores do estudo já citado explicam que as doses deste sal eram tão reduzidas que acabavam por ter um efeito positivo sobre a saúde feminina.

 

O coordenador da pesquisa, Philippe Walter, explica que chegou a estas conclusões através do desenvolvimento de um electrodo com a espessura equivalente a de um decido da espessura de um fio de cabelo para investigar o efeito do cloreto de sódio sobre uma única célula humana. O resultado foi a libertação pela célula de substâncias de defesa. Assim, o investigador está convencido de que ao se maquilhar, as mulheres egípcias procuravam não apenas um método de cosmética mas também uma forma de se protegerem.

.
"
Christiana Martins (www.expresso.pt)
 Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2010

 

publicado por Cleópatra M.P. às 12:24
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito!

Quinta-feira, 16 de Setembro de 2010

 

 

 

* * *

 

 

 

 

* * *

 

 

 

 

* * *

 

publicado por Cleópatra M.P. às 12:09
link do post | comentar | favorito!

Quarta-feira, 15 de Setembro de 2010

 

 

 

* * *

 

 

 

* * *

  

 

Não quero amor
que não saiba dominar-se,
desse, como vinho espumante,
que parte o copo e se entorna,
perdido num instante.

Dá-me esse amor fresco e puro
como a tua chuva,
que abençoa a terra sequiosa,
e enche as talhas do lar.
Amor que penetre até ao centro da vida,
e dali se estenda como seiva invisível,
até aos ramos da árvore da existência,
e faça nascer
as flores e os frutos.
Dá-me esse amor
que conserva tranquilo o coração,
na plenitude da paz!

 

 

Rabindranath Tagore

Amor Pacífico e Fecundo in "O Coração da Primavera"

 


 

publicado por Cleópatra M.P. às 08:20
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito!

Segunda-feira, 13 de Setembro de 2010

 

 

 

* * *

  

 

 

* * *

 

 

Foi na semana passada. A meio da semana.

Nós os dois. Por acaso. Uma casa antiga, muito grande, estilo colonial. Branca. Portas e janelas em madeira pintada de azul turquesa. Linda. Árvores de grande porte na frente. Frondosas. Em fila. O casamento de alguém. Não me lembro quem. Para dizer a verdade, nem interessa, sabes? O importante éramos nós os dois, ali, assim sem contarmos. Sem termos feito nada para que acontecesse. Acaso. Será? Acaso? Nem sei, imagina lá tu. Claro que foi acaso. Não! Não foi nada disso. Há certas coisas na vida que não são acasos. Esta foi uma delas. Um momento indelével. Sem jogos, sem xeque-mate. Sem medo. Sem medos. Várias centelhas felizes dentro de um momento único.

A felicidade e a alegria que sentimos depois de tanto tempo de afastamento. Ai como é bom sentir o amor verdadeiro, o privilégio que é sermos um puzzle de duas peças.

O amor? Sim, acredito. Claro que acredito. Provas? Tenho várias! Mas nem precisava, sabes disso...

A festa? Era um casamento, já te disse, distraído! As pessoas, os convidados? Nem sei. Acreditas que não consigo lembrar-me? Quando te olhei, não vi mais ninguém. Mas tu certamente também não recordas quem lá estava, e nem eu te perguntaria por eles. Não interessa. Eram apenas os outros.

Depois olhei-te novamente e... vi-te. A minha alma aqueceu. E como aqueceu! A minha alma sempre aquecia de cada vez que te via. E essa particularidade não mudou. Ali estávamos nós, tão bem, tão maravilhosamente bem. Desaparecemos da festa, por um dos vários corredores da mansão. A correr de mão dada, os nossos pés a baterem com força no chão de madeira. Duas crianças que não conseguem disfarçar a felicidade que sentem. Tenho a certeza que nos perdoaram o egoísmo.

Quando nos encontraremos de novo? Mais logo? Então tenho que adormecer... encontro-te do outro lado.

 

 

Cleo.

 

* Vangelis - Come to Me *

                                                                                          

 

publicado por Cleópatra M.P. às 22:53
link do post | comentar | favorito!

Domingo, 12 de Setembro de 2010

 

 

Jeremy Brett,


o único actor que na minha opinião interpretou


na perfeição o papel de Sherlock Holmes.


Nunca consegui ver episódios ou filmes em que


o actor fosse outro... soava-me a falso...

 

 

* * *

 

 

                     * * *

 


.

I meditate and do yoga.
I sit cross-legged and try not to levitate too much.
 .
.
Jeremy Brett

 

publicado por Cleópatra M.P. às 00:03
link do post | comentar | favorito!

Quinta-feira, 9 de Setembro de 2010

 

 

 

* * *

 

 

 

 

  * * * 

 

"(...) a humanidade é muito estranha. Que mais? Explicar que sou um grande homem e não digo que sou uma grande mulher pela mesma razão por que não existe onço, só onça, nem foco, só foca, tudo isso é um bobajol de quem não tem o que fazer ou fica preso a idiossincrasias da língua, como aquelas cretinas feministas americanas que queria mudar history para herstory, como se o his do começo da palavra fosse a mesma coisa que um pronome possessivo do gênero masculino, a imbecilidade humana não tem limites. Sou um grande homem fêmea, da mesma forma que os grandes homens machos são grandes homens machos, fica-se catando picuinha porque o nome da espécie é por acaso masculino e não neutro, como é possível que seja em alguma outra língua, como se a gramática resolvesse alguma coisa nesse caso. Explicar isso, não existem grandes homens e grandes mulheres, existem grandes homens machos e grandes homens fêmeas. não há nada mais ridículo do que galeria de grandes mulheres, isso e aquilo, fico morta de vergonha. A espécie é humana, como Panthera uncius, Panthera leo, um onça, no feminino por acaso, outro leão, no masculino por acaso, uma questão de língua exclusivamente. Explicar isso como quem explica a um marciano. A um terráqueo. Escuta aqui, terráqueo, deixa de ser débil mental. Bem, ambições inúteis (...). Que mais? Nada, (...)"

 

 

João Ubaldo Ribeiro, in "A Casa dos Budas Ditosos", pp.23-24

 

 

 

publicado por Cleópatra M.P. às 18:42
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito!

Quarta-feira, 8 de Setembro de 2010

 

 

* * *

 

Para a minha querida Princesa B*******!!!

 

 

 

                         * * *

 

Que o teu primeiro dia de aulas

 

seja fantástico, B*******!!!

 

                         * * *

 

Um beijão para a Princesa B******* Crocodila Lagartixa!!
Mi

 

 

publicado por Cleópatra M.P. às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito!

Terça-feira, 7 de Setembro de 2010

 

 

 

* * *

 

* * *

 

 

There's so many different worlds


So many different suns


And we have just one world


But we live in different ones

 

 

Mark Knopfler

 

 

 

* Dire Straits - Brothers in Arms *

 

 

 

 

 

publicado por Cleópatra M.P. às 23:53
link do post | comentar | favorito!

Segunda-feira, 6 de Setembro de 2010

 

 

 

* * *

 

* * *

 


Don't come after
Come
Don't come after
Please don't follow me along
When you read this I'll be gone
Ask the mountains
Springs and fountains
Why couldn't this go on?
Couldn't our happiness go on?
Ask the sun that lightens up the sky
When the night gives in, to tell you why
Ask the mountains
Wild woods, highlands
Ask the green in the woods and the trees
The cold breeze coming in from the sea
Springs and fountains
Ask the mountains
Springs and fountains
Ask the sun that lightens up the sky
When the night gives in, to tell you why
Tell the mountains
Springs and fountains
Why couldn't this go on?
Couldn't our happiness go on?

 

 

Vangelis, Ask The Mountains

 

 

 

                               * Vangelis - Ask The Mountains *

 

publicado por Cleópatra M.P. às 00:02
link do post | comentar | favorito!

Sexta-feira, 3 de Setembro de 2010

 

 

 

* * *

 

 

 

* * *

 

 

 Como corre a gazela
pela sombra dos bosques,
enlouquecida pelo próprio perfume,
assim corro eu, enlouquecido,
nesta noite do coração de maio
aquecida pela brisa do Sul.

Perdi o caminho
e erro ao acaso.
Quero o que não tenho,
e tenho o que não quero.

A imagem do meu próprio desejo
sai do meu coração
e, dançando diante de mim,
cintila uma e outra vez,
subitamente.

Quero agarrá-la, mas escapa-se.
E, já longe, chama-me outra vez
do atalho ...
Quero o que não tenho
e tenho o que não quero.

 

 

Rabindranath Tagore

Desejo Indomável in "O Coração da Primavera"

 

 

 

 

* Vangelis - Memories of Blue *

 

publicado por Cleópatra M.P. às 09:05
link do post | comentar | favorito!

Quinta-feira, 2 de Setembro de 2010

 

 

 

* * *

 

 

 

* * *

 

O destino é uma questão de escolha.

 

 

Augusto Cury

 

 

 

 

 
* Vanessa Mae - Destiny *


publicado por Cleópatra M.P. às 08:25
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito!

Quarta-feira, 1 de Setembro de 2010

 

 

* * *

 

 

 

* * *

 

I was childish and unfair
To you, my only friend
I regret, but now it's too late
I can't show you any more
The things I've learned from you
Cause life just took you away
I'm asking why
I'm asking why
Nobody gives an answer
I'm just asking why
But someday we'll meet again
And I'll ask you
I'll ask you why
Why it has to be like this
I'm asking you why
Please give me an answer
Many years and stupid fights
Till we accept to see
How it was and it'll always be
Why it has to be like this
Why we don't realize
Why we're too blind to see the one
Who's always on our side
I'm asking why
I'm asking why
Nobody gives an answer
I'm just asking why
Just tell me why

Why it has to be like this
That the good ones disappear
I'm asking you why
I'm asking why
I'm asking why
Nobody gives an answer
I'm just asking why
I'm asking why

 

 

* Enigma - Why *

 


 

publicado por Cleópatra M.P. às 08:30
link do post | comentar | favorito!

Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

14
17
18

21
22
25

26
27
29


Tradutor | Translator
Free counters!